HISTÓRICO

Um chamado do coração

Um movimento fraterno será sempre uma história escrita por muitas mãos. A Fraternidade sem Fronteiras (FSF) nasceu do coração de um homem, mas alcançou e ajuda cada dia mais
pessoas pela união de vários corações fraternos.

Wagner Moura Gomes, o fundador-presidente da FSF, era só um menino quando se viu chorando pela fome no mundo. Uma dor que o acompanhou por toda a juventude, quando já se dedicava a trabalhos voluntários na periferia de Campo Grande/MS, cidade natal dele. Já adulto, não conseguindo mais evitar esse chamado,
decidiu ir à África.

Escolheu Moçambique, país de língua portuguesa, localizado na região mais pobre do mundo, a África Subsaariana. Começava ali
o trabalho de acolhimento da Fraternidade sem Fronteiras que hoje já se expandiu por todas as áreas de atuações apresentadas.

Daqueles primeiros dias aos de hoje, uma série de felizes acontecimentos, padrinhos/madrinhas e amigos da causa, vêm tecendo essa história de fraternidade. Um movimento fraterno será sempre uma história escrita por muitas mãos.

Assista a entrevista do fundador e presidente da ONG,
Wagner Moura Gomes, e conheça como essa história começou.

AGOSTO 2009

Primeira viagem à África

Em 2009, atendendo ao chamado do coração, Wagner Moura faz a primeira viagem à África. Visita orfanatos, asilos, conhece crianças de rua e, posteriormente, as aldeias.

Nas aldeias, o grande número de órfãos, em decorrência do HIV e da malária, e a ausência de qualquer tipo de assistência às crianças. A partir daí, começa a pensar na fundação de uma organização não governamental para acolher as crianças da África.

NOVEMBRO,15 2009

Fundação da FSF

Wagner Moura retorna da primeira viagem à África, reúne os amigos mais próximos e propõe a criação da ONG. Junto ao grupo de voluntários, organiza um evento para mil pessoas – um churrasco beneficente. A iniciativa rende R$ 25 mil e, com os amigos mais próximos, Wagner funda a Organização Humanitária Fraternidade sem Fronteiras (FSF).

2010

Abertura do primeiro centro de acolhimento

Wagner retorna à Moçambique, levando os recursos do evento beneficente. Visita novamente as aldeias e, com a ajuda de algumas pessoas, é levado ao régulo - líder espiritual e religioso da aldeia a quem é necessário pedir autorização para realizar qualquer tipo de trabalho com a comunidade. Apresenta a ele o projeto idealizado, baseado em 7 anos de experiência em trabalhos assistenciais no Brasil, e recebe a autorização.

Compra em Maputo os utensílios para montar o Centro, volta para as aldeias e aluga uma antiga casa de portugueses num terreno de cinco mil metros. Contrata monitores e cozinheiras locais, capacita para o trabalho fraterno. Em razão do custo, estima amparar 35 crianças, mas ao findar as visitas para o trabalho de cadastro, registra 70 crianças com necessidade de amparo urgente. As crianças tinham a necessidade e Wagner tinha a fé. Com o dobro do planejado, abre o primeiro centro de acolhimento da Fraternidade sem Fronteiras, em Barragem.

Contrataram monitores, indicados pelas próprias pessoas da aldeia, com instrução até a sétima série. Capacitaram minimamente conforme a experiência de que dispunham, contrataram cozinheiras e buscaram, dentro da cultura africana, líderes naturais com vocação para o canto, as danças e brincadeiras nativas. A alegria proporcionada pela música, pelo movimento do corpo e pelo lazer faria parte também da vida das crianças. Era o modelo básico para atividades.

2010

Sistema de apadrinhamento

Como manter o trabalho de assistência e criar condições para acolher ainda mais crianças em situação de extrema carência? Surge a ideia do apadrinhamento. A contribuição de R$ 50,00, por mês, garantiria a entrada e permanência de uma criança no projeto. Cada pessoa que abraçasse o projeto abriria vaga para mais uma criança. As doações avulsas e promoções seriam para a estrutura e montagem dos centros de acolhimento. O convite ao apadrinhamento, aos poucos, foi sendo acolhido no coração de muitos, milhares de padrinhos, no Brasil e também no exterior. Anos mais tarde, em 2017, uma decisão necessária: o apadrinhamento passou a ser para o projeto e não mais para uma criança determinada. Isso porque o ritmo de crianças que entravam no projeto era muito maior do que a capacidade de construir e equipar os centros de acolhimento. É lançada a campanha Estrutural Moçambique e a contribuição dos novos padrinhos passa, então, a ser destinada para construir cozinhas, banheiros, salas para atividades pedagógicas, viabilizando a estrutura mínima necessária ao acolhimento das crianças. O sistema de apadrinhamento é o coração de todos os projetos da Fraternidade sem Fronteiras (FSF).

2013

Primeira Caravana FSF


Em Março de 2013 formamos a primeira caravana para Moçambique/África, composta por 16 integrantes. A Fraternidade sem Fronteiras dava os primeiros passos para conectar corações de irmãos que vivem em continentes diferentes.

2014

Projeto Jovem

Alguns anos após o início do projeto, as primeiras crianças acolhidas são jovens e surgem, então, novos desafios. Nas aldeias, eles têm chance de estudar apenas até a sexta série porque depois dessa etapa só tem escola na cidade. Sem dinheiro para o transporte, material escolar e uniforme, a grande maioria interrompe os estudos.

Era preciso criar novas frentes de trabalho para ampará-los e orientá-los para o futuro. É criado, então, o Projeto Jovem. Padrinhos garantem a eles a continuidade dos estudos e a oportunidade de aprender uma profissão. Assim, conquistam autoestima e mantém viva a esperança que se vê nos olhos de todos os acolhidos.

 

2015

Construção da padaria


O movimento fraterno constrói uma padaria em Muzumuia, onde a FSF abriu o segundo centro de acolhimento. A iniciativa oferece aos jovens oportunidade de aprender uma profissão e pão por menor preço para a comunidade.

2015

Água para a África


Início da perfuração de poços artesianos nas aldeias de Moçambique. A chegada da água permite o início do cultivo sustentável, visando a autossustentação alimentar do projeto.

ABRIL 2016

Chemin Du Futur


O orfanato Chemin Du Futur, localizado em Dakar, Senegal/África, é abraçado pela Fraternidade sem Fronteiras. A região possui o maior fenômeno de crianças em situação de rua no mundo, estima-se que 50 mil meninos não tenham um lar. Para ajudar a mudar a vida desses jovens, atuamos junto ao Chemin du Futur para oferecer um lar, educação e capacitação.

2017

FSF Internacional


Registrado o Núcleo Fraternity Without Borders Suiça; e em julho do mesmo ano, é constituída oficialmente o Núcleo Fraternity Without Borders Reino Unido.

FEVEREIRO 2017

Tratamento de crianças com microcefalia


A FSF abraça a causa pelas crianças com microcefalia e cria o projeto de apadrinhamento “Microcefalia, ciência e amor”, que fica em Campina Grande/Paraíba/Brasil,  unindo-se ao trabalho da médica e pesquisadora Adriana Melo, responsável pela descoberta da relação entre o zika vírus e a microcefalia.

FEVEREIRO 2017

Ação Madagascar

A Fraternidade vai ao sul da ilha de Madagascar e cria o projeto "Ação Madagascar", iniciando o atendimento a famílias que sofrem com a fome e sede, em uma das piores crises humanitárias do mundo. De imediato realiza um trabalho humanitário de emergencial e, de forma planejada, passa a acolher milhares de pessoas.

MARÇO 2017

Encontro Fraternidade sem Fronteiras

Realização do primeiro Encontro Fraternidade sem Fronteiras, com o objetivo de fortalecer a causa e os laços afetivos entre pessoas que se unem para trabalhar por um mundo melhor.

OUTUBRO 2017

Orquestra Filarmônica Jovem Emmanuel

A Orquestra Filarmônica Jovem Emmanuel passa a integrar os projetos da Fraternidade sem Fronteiras, em Campo Grande/MS/Brasil.

NOVEMBRO 2017

Brasil, um coração que acolhe

Lançamento do Projeto “Brasil, um coração que acolhe”. A Fraternidade sem Fronteiras constrói e mantém um centro de acolhimento, em Boa Vista/Roraima/Brasil, para ajudar famílias venezuelanas que atravessam a fronteira com o Brasil, em busca de esperança, tentando vencer a pior crise humanitária da América Latina.

 

Março 2018

Sede própria

O movimento cresce e a organização tem a necessidade de espaço adequado para atender padrinhos, divulgadores, central de presentes e a administração de todos os projetos humanitários. Investe, então, na oportunidade da compra da sede própria, onde também passa a realizar pequenos eventos, como o lançamento de novas ações e encontro de padrinhos da causa.

Maio 2018

Núcleo FWB Estados Unidos

Mais um Núcleo se forma no exterior: agora o Núcleo Fraternity Without Borders Estados Unidos, também leva a causa ainda mais longe.

Junho 2018

FSF no Haiti

O movimento de fraternidade vai ao Haiti conhecer um projeto do coração de Jean Inoclair François - refugiado haitiano que morava e trabalhava no Brasil e enviava dinheiro ao Haiti para sustentar a família e quase 200 crianças. A Fraternidade sem Fronteiras passa a apoiar os esforços humanitários e ajuda na construção da escola Escola Gnose de Village Quosqueya Hinche para alfabetizar e alimentar cerca de 500 crianças.

Junho de 2018

Novas causas no Nordeste brasileiro

A Fraternidade sem Fronteiras torna-se parceira de novas causas no nordeste brasileiro: Retratos de Esperança e Jardim das Borboletas. Com o Retratos, constrói casas para famílias do sertão nordestino; com Jardim das Borboletas, apoia o tratamento de pessoas com uma doença de pele rara e incurável, a epidermólise bolhosa, que exige cuidados de alto custo.

Julho 2018

Cidade da Fraternidade


Cem famílias de Madagascar, que viviam em casinhas muito precárias passam a morar na Cidade da Fraternidade, idealizada e construída para oferecer vida nova em comunidade, com incentivo à cultura da paz e sustentabilidade. O projeto, em área de 45 mil metros quadrados, contempla 100 casas, poço artesiano, produção, oficinas de trabalho e renda.

Julho 2018

Fraternidade na Rua

A FSF une-se à Clínica da Alma, em Campo Grande/MS/Brasil, para ajudar a vencer um dos maiores desafios sociais: a dependência química. O projeto Fraternidade na Rua  cria a oportunidade do apadrinhamento para fortalecer e ampliar o trabalho da Clínica, baseado na disciplina, laborterapia e espiritualidade.

Setembro 2018

Projeto Nação Ubuntu

Início do trabalho humanitário no campo de refugiados de guerra Dzaleka, em Dowa, no Malawi. O projeto Nação Ubuntu nasce com o sonho de apresentar ao mundo um novo modelo de vida para comunidades de refugiados, baseado nos valores da antiga filosofia africana Ubuntu – “eu sou porque nós somos”. Em área adquirida ao lado do campo de refugiados, inicia-se a construção do centro de acolhimento com espaço para oficinas de trabalho, padaria, perfuração de poço artesiano, playground e salas de aula para oferecer estudo a 9 mil crianças.

Abril 2019

Prêmio Inspiração

O fundador-presidente da FSF, Wagner Moura Gomes, recebeu o Prêmio Inspiração, promovido pelo programa Caldeirão do Huck, da emissora Globo. Na ocasião, o programa mostrou a história e trajetória de Wagner e da Fraternidade sem Fronteiras, como um reconhecimento de cidadão inspirador e causa relevante para a sociedade.

Agosto 2019

Site FSF ganha versão em inglês e permite apadrinhamento internacional

O site da Fraternidade sem Fronteiras ganhou sua versão em inglês e pessoas que vivem fora do Brasil podem apadrinhar e conhecer mais de perto o trabalho humanitário desenvolvido pela ONG e contribuir para que a missão atravesse continentes.

Novembro 2019

Núcleo FWB Canadá

O Canadá também passa ser mais um Núcleo da Organização fora do Brasil. Assim, o Núcleo Fraternity Without Borders Canadá é registrado e implantado para espalhar e vivenciar a mensagem de fraternidade.

Novembro 2019

Fraternidade sem Fronteiras completa 10 anos e realiza Dia Mundial FSF

Em 15 de novembro de 2019, a FSF completou dez anos de fundação. Para comemorar o momento, a Organização cria o Dia Mundial FSF e com voluntários de diferentes localidades do mundo, realiza mais de 50 ações fraternas simultâneas em dez países (Brasil, Portugal, Suíça, Canadá, Inglaterra, Estados Unidos, Senegal, Moçambique, Malawi e Paraguai).

Abril 2020

Primeiro encontro FSF 100% virtual

A quarta edição do Encontro FSF ocorreu entre os dias 17 e 19 de abril, de forma totalmente virtual devido ao isolamento social exigido pela pandemia da Covid-19. Apesar da distância, fortalecemos o sentimento fraterno e reunimos muitas mãos à serviço do amor.

Abril 2020

Livro A Alma Que Fala

Lançamento do livro do fundador-presidente da FSF, Wagner Moura Gomes, com reflexões e depoimentos de vivências de fraternidade na FSF. Toda renda é revertida para a Organização.

Abril a Julho 2020

Viver Fraternidade

Primeira campanha de arrecadação virtual de cestas básicas para o Brasil e a África, beneficiando os projetos FSF e mais 69 instituições parceiras e necessitadas pelo impacto da pandemia da Covid-19.

Julho 2020

Coração Curumin

Em meio ao desafio da pandemia de Covid-19, iniciamos a campanha contínua Coração Curumim, que leva ajuda humanitária para mais de 50 comunidades indígenas, das etnias Terena, Guarani e Kaiowá, nos estados de MS, MT no Brasil e do país Paraguai; com possibilidades sustentáveis, alimentos, água, itens de higiene e equipamentos de proteção.

Setembro 2020

Ampliação do projeto Fraternidade na Rua

Além do polo MS, com parceria da Clínica da Alma, o projeto chega às cidades de: São Paulo/SP, Rio de Janeiro/RJ, Uberlândia/MG e Belo Horizonte/MG - com o objetivo de proporcionar diversas frentes e atuação de trabalho para acolher e auxiliar pessoas em situação de rua no Brasil.

Setembro 2020

Primeiro comercial na TV

Por meio de uma doação especificamente com esse destino, para levar a FSF ao conhecimento de mais pessoas, houve a veiculação de 30 dias de dois comerciais transmitidos na emissora Globo News - nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Um dos VTs contou com a participação voluntária dos padrinhos e artistas Reinaldo Gianecchini e Alok, e o outro divulgou a chegada do projeto Fraternidade na Rua no RJ.

Fevereiro 2021

FSF incorpora Orquestra Jovem Emmanuel como projeto próprio


Passamos a fazer a administração completa do projeto, migrando de apoiado para um projeto próprio da Organização.

Julho 2021

Lançamento do Portal do Voluntário

Lançamos no site da FSF uma área exclusiva aos nossos voluntários. O portal do voluntariado chegou para unir vários grupos de diferentes regiões em um ambiente que une iniciativas de trabalho com o foco na ajuda humanitária. 

 

SETEMBRO 2021

Apadrinhamento Empresarial

 

Lançamos a modalidade de Apadrinhamento Empresarial, que permite a empresas e instituições a oportunidade de se tornarem madrinhas de nossos projetos ou parceiras da causa. O apadrinhamento empresarial tem cota mínima de R$500 por mês.

SETEMBRO 2021

Abertura do polo Fraternidade na rua nos Estados Unidos

O projeto Fraternidade na rua cresce e o acolhimento chegou a outros países. Três novos polos de atuação foram firmados nos Estados Unidos  nas cidades de Las Vegas, Nova Iorque e Denver.

DEZEMBRO 2021

Desativação Fraternidade na rua em BH

 

As atividades do polo Belo Horizonte, do projeto Fraternidade na Rua, foram encerradas. O trabalho da FSF na região acontecia em parceria com o Banho Solidário que seguirá normalmente suas atividades na região,de forma ainda mais estruturada para o atendimento de pessoas em situação de rua.

JANEIRO 2022

Reestruturação do projeto Brasil, um coração que acolhe

O projeto Brasil, um coração que acolhe passou por uma reestruturação triplicando a capacidade de acolhimento aos refugiados e migrantes venezuelanos em Boa Vista, Roraima. O número passou de 500 para 1500 acolhidos

Assumimos a coordenação civil de mais um Centro de Acolhimento, o Pricumã e agora estamos com quatro frentes de trabalho, sendo três na cidade de Boa Vista e o Centro de Capacitação e Referência localizado em Pacaraima.

Essa mudança foi necessária devido ao crescimento do fluxo migratório na fronteira entre Brasil e Venezuela e faz parte de uma reorganização da Operação Acolhida. Os acolhidos do Centro de em São Vicente 2 tiveram que ser transferidos para o Centro de Acolhimento do Espaço Emergencial 13 de Setembro.  Um aumento de 270 para cerca de quase 500 acolhidos

 

FEVEREIRO 2022

BCA assume o Centro de Acolhimento indígena Jardim Floresta


O projeto Brasil, um coração que acolhe assumiu a coordenação humanitária do Centro de Acolhimento Indígena Jardim Floresta, em Boa Vista - Roraima. A estrutura do local tem capacidade para  acolher até 460 pessoas. Este é um dos cinco abrigos indígenas da Operação Acolhida no estado de Roraima, e o primeiro sob a coordenação da Fraternidade sem Fronteiras.

 

Março 2022

Inauguração do Centro de Espiritualidades, no Projeto Nação Ubuntu, no Malawi

PRESENT