Blog

Ajude-nos a divulgar. Compartilhe esta história!

Rate This:

[Total: 2    Média: 3.5/5]

Lenita Cortes: Um relato do coração

| | Blog

…as lágrimas caíram fortes enquanto escrevia! Me emociona
muito esse trabalho! (Lenita Cortes)

“Conheci a Fraternidade sem Fronteiras há dois anos em Belo Horizonte num congresso da AME/MG, porém não me envolvi de pronto. Após um tempo, li mais sobre a ONG no Facebook e só então fui pesquisar mais a respeito, até que assisti um vídeo das irmãs Linda e Alegria. A partir daí me senti responsável também pelo que estava acontecendo àquelas crianças. Ainda hoje a imagem delas naquele vídeo me emociona.

Vi então a notícia de uma venda de garagem em prol das crianças que a FSF atende em Moçambique, a qual aconteceu em Dubai. No mesmo instante pensei:

– Isso eu posso fazer!

Pedi autorização ao Wagner e o primeiro bazar foi em prol da FSF e das Irmãs da Nova Jerusalém, de Fortaleza. Pedi doações através do Facebook e senti medo…

– E se não recebesse doações? E se ninguém viesse comprar? Como fazer isso na garagem sem expor a minha casa?

Apesar dos temores, segui em frente, tive pesadelos. As doações não tardaram a chegar… muitas! Eu ainda achava pouco comecei a esvaziar os armários de casa: “precisamos fazer dinheiro” – eu dizia. Uma amiga fez o mesmo, parecíamos umas “loucas”…

O primeiro bazar aconteceu no dia 30/11/14, a família participou de forma incrível, as amigas também e as pessoas chegavam… A tensão foi grande e, em dado momento – já quase ao final do bazar – o coração estava carregado de angustia, não sabia explicar aquela sensação tão pesada.

Chega ao portão, neste momento, um homem aparentando 40 anos, negro, trazendo em cada mão uma criança, uma menina e um menino aparentando 7 ou 8 anos. Perguntou se havia coisas para criança. Não havia… quase não recebemos coisas infantis. Ele, então, sem mesmo entrar na garagem, perguntou – olhando em meus olhos:

– Senhora, qual o mistério?

No início não entendi a pergunta, mas ele ficou em silêncio e eu enfim compreendi que ele queria saber a razão do bazar. Esclareci os motivos e ele olhou em volta, viu uma maleta nova (case para computador) e logo perguntei se ele tinha se interessado. Ele perguntou o preço. “São quarenta reais – respondi – mas posso fazer por vinte, pois já estamos encerrando! ”

Ele coloca a mão no bolso e tira uma nota amassada de vinte reais, me olha, segura a minha mão e fala: “eu quero te agradecer pelo que está fazendo pelas crianças! “

Dito isso, foi embora e – com ele – toda a angustia que eu sentia, ficando uma emoção tão forte, que me escondi atrás da jabuticabeira aqui de casa e deixei as lágrimas rolarem… Agradeci a Deus a grande oportunidade que estava sendo dada a todos nós que ali estávamos.

Lanche para visitantes

A Jabuticabeira…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Já terminamos o bazar pensando no próximo, que aconteceu no dia 12/04/15.

Mais uma vez tive pesadelos, sonhava que não recebia nenhuma doação… após um pedido pelo Facebook comecei a receber ligações, mensagens e whatsapp de pessoas querendo fazer doações, as quais alcançaram o triplo do que ganhamos no primeiro! Mais pessoas vieram colaborar e muitas trouxeram bolos (oferecemos uma mesa de lanche com água, suco, café e bolos para quem veio nos visitar) e ajuda para o almoço. Meu pai se encarregou da carne seca com abóbora, que aliás foi um sucesso! Uma amiga trouxe estrogonofe, uma tia trouxe um tabuleiro de empadas… até uma torta de forno (receita da mãe baiana de uma amiga que estava aqui colaborando) foi feita às pressas e também foi um sucesso.

Sobre o almoço, uma curiosidade: um senhor desconhecido para nós, que comprava no bazar juntamente com a esposa e dois filhos, não parava de comentar sobre o cheiro da comida. Ele foi convidado a almoçar conosco e disse: “por favor, convença a minha esposa porque eu adoro carne seca com abóbora! ” Ela resistiu, mas acabou aceitando o convite e assim tivemos a emoção de um almoço festivo, onde a cada hora mais pessoas se juntavam.

A Irmã Aíla Pinheiro (Comunidade Irmãs da Nova Jerusalém), por quem temos profundo carinho e respeito, nos pediu que deixasse toda a renda do bazar para o FSF. Disse ela: “as crianças de Moçambique estão necessitando mais!”

Wagner, Lenita e Irmã Aíla

Acatamos seu pedido e toda a renda foi para o FSF. A característica marcante desse bazar foi a alegria, o semblante das pessoas era algo que iluminava todo o ambiente. Após o bazar, recebemos mensagem de pessoas agradecendo ao tratamento recebido aqui, divulgamos quanto pudemos o projeto e há muito interesse de todos em saber mais.

As fotos das crianças, que deixamos em exposição, a todo momento nos lembrava o motivo pelo qual estávamos ali reunidos e isso tornava nosso trabalho prazeroso e gratificante.

Em tempo: nosso próximo bazar será em novembro e já temos um grupo de amigas reunidas pensando tudo, confeccionando coisas novas para serem vendidas e já pensando no natal! Para nossa alegria, já estamos recebendo doações!

Temos a certeza que o que fazemos é ainda muito pouco, mas que pode se multiplicar por mais cidades. Se somarmos nossas forças, podemos ajudar mais e mais!”

Niteroi, RJ, 08 de maio de 2015.

Equipe já preparando o próximo Bazar.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOPO