Projeto

Brasil, um coração
que acolhe

Quando uma crise imigratória bate à porta, temos duas opções: ou fechamos as fronteiras ou abrimos o nosso coração.

A Fraternidade sem Fronteiras convida todos para acolher os imigrantes venezuelanos e, juntos, lançarmos ao mundo uma mensagem de paz.

Chegamos à fronteira em outubro de 2017 e, com a ajuda de voluntários, apoiadores e padrinhos, construímos um centro de acolhimento, onde as famílias recebem alimentação, orientação para serviços de saúde e educação, têm aula de português e dividem responsabilidades nos cuidados com o ambiente.

História de Héctor

Muitas famílias já recomeçam a vida no Brasil, em um movimento que gratifica quem acolhe e quem é acolhido. (veja o vídeo)

Com a sua ajuda, vamos ampliar o trabalho humanitário, construir novas unidades de acolhimento e criar oportunidade de vida nova para milhares de  imigrantes venezuelanos.

O mundo com que sonhamos é sem fronteiras, com fraternidade.

"Que ser humano queremos ser?"

Uma reflexão do fundador e presidente da FSF, Wagner Moura, sobre a crise imigratória e as fronteiras do coração.

Veja reportagem do Fantástico

A crise imigratória e o acolhimento da FSF.

Apadrinhamento, o coração do projeto

A Fraternidade sem Fronteiras chegou a Roraima em outubro do ano passado e diante da crise humanitária, mobilizou apoio, voluntários e lançou o projeto Brasil, um coração que acolhe. Com a ajuda de padrinhos, que contribuem com pequeno valor mensal, construímos e inauguramos pouco antes do Natal, um centro de acolhimento para 100 famílias, em Boa Vista.

Publicações Relacionadas

Vídeos relacionados

TOPO

Gostaríamos de manter você sempre atualizados com as novidades do nosso blog. Que tal?