Projeto

Retratos de
Esperança

Fraternidade no Sertão da Bahia

No Brasil, especialmente no sertão da Bahia, há diversas famílias que além de sofrerem com a seca, vivem isoladas e lidam a escassez de alimento. Muitas dessas famílias moram em casas de pau a pique\taipa à luz de candeeiro.

Estruturas sem cozinha ou banheiros apropriados e que desabam pedaços com a chuva. O projeto Retratos de Esperança atua no sertão e demais regiões em extrema pobreza na Bahia, oferecendo doações pontuais, e proporcionando atendimento em diversas áreas, aulas de reforço escolar, arte e música.

Em Canudos, vem construindo a Vila Esperança, substituindo casas de taipa por novos lares, investindo em ações educacionais e culturais. O sonho é oferecer qualidade de vida à comunidade carente, através da distribuição de água, saneamento básico, educação e geração de renda.

Mensalmente através das Caravanas para o Sertão, voluntários de todo o país ingressam nessa missão fraterna de transformar histórias de sofrimento em um recomeço de esperança.

Sertão Baiano, um cenário
devastado pela seca

Uma das regiões mais sofridas do Brasil. Famílias inteiras na pobreza extrema. Sem nenhuma assistência, sobrevivem de restos, e a grande maioria passa fome, além de desesperança. Através de fotografias essa triste realidade pode começar a ter um novo rumo. Um livro, composto por 84 fotografias registradas entre 2010 e 2017 se tornou o projeto Retratos da Esperança, que nasceu devido à urgência do despertar da humanidade com a já conhecida situação dos municípios do estado e a necessidade de retorno aos fotografados.

Bismarck Araujo é o jovem fotógrafo desses retratos. De Retirolândia-Ba, regista na lente de sua câmera, a pobreza do sertão de seu estado, na memória de suas lembranças, a infância sofrida e pobre, e em seu coração, a coragem, de começar sozinho a mudar toda essa triste história.

Vídeos relacionados

TOPO